Eventos do Mês

 

Botika – Pra fechar o verão – DE GRAÇA – Teatro do Jockey 30_03_14
Hoje as  21h tem show do Botika Botkay DE GRAÇA no Teatro do Joquei! É prá fechar o verão.

A nova edição do projeto Alô, alô atitude vai comemorar os novos trabalhos de BOTIKA e DAÍRA SABOIA !

No Sábado, dia 29, é dia de curtir a MPB com a cantora DAÍRA SABOIA, que apresentará as músicas do seu novo CD, FLOR! Cheio de novos compositores e releituras de grandes sucessos, o show traz participações especiais, um trio virtuose e o aquecimento para o lançamento do disco!

No domingo, dia 30, é a vez do rock autoral do músico e escritor BOTIKA dominar o palco, com as músicas inéditas do novo CD, PICOLÉ DA CABEÇA. O vocalista da banda “Os Outros” voa alto neste projeto solo, onde o rock reina absoluto.

Entrada Franca (Retirada de ingressos 01 hora antes na bilheteria do local)
Dias 29 e 30 de Março | 21hs
Centro de Referência Cultura Infância | Teatro Municipal do Jockey
Informações : 21 31141286
Endereço : Rua Mario Ribeiro, 410, Gávea (entrada de veículos)
Av. Bartolomeu Mitre, 1110, Gavea (entrada de pedestres)
Estacionamento pago no local

Pra ou vir o ep “Picolé da Cabeça” do Botika, aperte o PLAY

 

 

BOLACHA NO SXSW 2014 AUSTIN TX
Estamos participando do Festival SXSW 2014 em Austin , Texas.  Alem de uma centena de conferencias e shows espalhados pela cidade, vamos aproveitar a oportunidade pra fazer negocios e networking.

Se você também estiver no SXSW e quiser bater um papo com a gente, mande msg pra  que será um prazer encontrá-lo!

 

WE ARE OPEN FOR BUSINESS!

 

 

Concurso Nacional de Marchinhas – Baile de lançamento do CD “As Melhores Marchinhas do Carnaval 2014”
 

CD “As melhores marchinhas do carnaval 2014”

Áurea Martins dá brilho ao disco que reúne sucessos de Marlene e as 10 finalistas do Concurso Nacional de Marchinhas

O disco “As melhores marchinhas do carnaval 2014” (Bolacha Discos)saiu do forno, com clássicos de Marlene e novas canções de compositores do Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba nas ‘dez mais’, escolhidas entre 853 letras inscritas. Com direção musical de Marcelo Bernardes, o álbum foi gravado pela Banda Fundição, que reúne os músicos Alfredo Del-Penho, Pedro Paulo Malta, Clarice Magalhães, Lali Maia, Mariana Bernardes, Matias Correa, Altair Martins, Jefferson Victor, Fernando Jovem, Joana Queiroz, Domingos Teixeira, Ignez Perdigão, Cassius Theperson, Thiago da Serrinha e Rodrigo Villa, além do próprio Marcelo Bernardes.

Como abre-alas do CD, um pot-pourri em homenagem a Marlene, com a música “Marlene, Meu Bem” (Mário Lago), “Marcha do Sapinho” (Humberto Teixeira/Norte Victor) e “Eva” (Haroldo Lobo/Milton de Oliveira), na interpretação do coro da Banda Fundição. A faixa de encerramento fica por conta de Áurea Martins, cantando “Bloco da Solidão” (Jair Amorim/Evaldo Gouveia). No “recheio”, quem abre a folia é o bicampeão Edu Krieger com “Colorindo a praça”, seguido pelo também veterano Pedro Holanda, com “É hoje”. As irreverentes “Marcha da maconha” (Henrique Cazes) e “Baba do quiabo” (Sergio Mouzinho), abrem alas para a marcha frevo “Lenço de cetim” (Felipe Guaraná). Em tom de protesto, as músicas “Menina black bloc” (Oswaldo Pereira), “Cadê a viga?” (Cassio e Rita Tucunduva), “Aplicando na poupança” (Rafael Junior), “Sauna gay” (Hardy Guedes) e “Eu quero é ficar off” (Dudi Baratz, Raphael Gemal, Luciana Coló, Ricardo Szpilman) encerram a apresentação das finalistas.

As próximas ações do concurso serão o lançamento do CD, no dia 16 de janeiro, e um desfile de rua com grandes blocos de carnaval do Rio no dia 26do mesmo mês. O grande baile da finalíssima acontece no dia 16 de fevereiro. O projeto conta com patrocínio da Petrobras e Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro via lei de incentivo à cultura e com a parceria do programa Fantástico, da TV Globo, que transmite ao vivo a final do concurso com votação interativa. As premiações desta edição serão: R$ 15 mil para o primeiro colocado; R$ 8 mil para o segundo colocado; R$ 4 mil para o terceiro colocado.  

Sobre a Homenageada

“Coitadinho do Papai” (Henrique de Almeida e M. Garcez) foi a primeira marchinha na voz de Marlene a fazer sucesso no carnaval, em 1947. Um dos maiores mitos da música brasileira, sua ligação com a folia sempre foi incontestável, tamanha a quantidade de sambas e marchinhas de carnaval que gravou ao longo de sua carreira. Multimídia desde sempre, Marlene tambem atuou como atriz em diversos espetáculos teatrais.

Nascida Victória em 22 de novembro de 1922, Marlene assim passou a se chamar em homenagem à artriz alemã Marlene Dietrich. Desde os 13 anos de idade apresentava-se como cantora em rádios de São Paulo, onde nasceu. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1940, onde passou a atuar profissionalmente. Sua estreia em disco aconteceu em 1946, pela gravadora Odeon. Desde que foi eleita a “Rainha do Rádio”, em 1949, passou a ter seu próprio programa na Rádio Nacional.

Marlene é a única cantora que recebeu por três vezes o troféu “Carmen Miranda”, que premia os melhores intérpretes de músicas de carnaval (1969, 1970 e 1973). Em 1977, lançou o álbum “Antologia da Marchinha”, com interpretações de músicas de Joubert de Carvalho, João de Barro, Noel Rosa, Tom Jobim, Francisco Mattoso, Chico Buarque, Assis Valente, Lamartine Babo, Ary Barroso e Custódio Mesquita. Seu maior sucesso, no entanto, não foi uma marchinha – mas sim o samba “Lata d’Água” (Luiz Antônio e Jota Junior).

Sobre o Concurso

Idealizado por Perfeito Fortuna, agitador cultural, ator e presidente da Fundição Progresso, o “Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas da Fundição Progresso” foi lançado em 2005. O projeto, que conta mais uma vez com o patrocínio da Secretaria de Estado de Cultura via Lei de Incentivo à Cultura, é considerado um marco na revitalização do carnaval de rua do Rio de Janeiro e do país. A partir de sua criação, 8.655 composições foram inscritas na disputa, vindas de todos os estados brasileiros. Diversas cidades realizaram eventos semelhantes nos anos seguintes à criação do concurso da Fundição.

Nas edições anteriores, as marchinhas vencedoras saíram das cidades de Belém, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. Foram elas: “Milagre do Viagra”, de Homero Ferreira e Chiquinho, em 2006; “Pra Carmen”, de Bete Bissoli, em 2007; “Volante com cachaça não combina”, de Mauro Diniz e Cláudio Jorge, em 2008, e “Bom dia”, de Renato Torres Lima, em 2010. O bicampeão Edu Krieger foi o primeiro colocado em 2009, com “Bendita baderna”, e em 2011, com “Nossa fantasia”. Em 2012, “Papagaio no arame”, de Fábio Simões, levou o primeiro prêmio, assim como “Vovô ampulheteiro”, de André Mesquita, Alberto Silva, Bozo e Moreira Junior, em 2013.

SERVIÇO
9o Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas da Fundição Progresso – Prêmio Marlene

16-janeiro: BAILE DE LANÇAMENTO DO CD – Parada da Lapa – 20h – R$ 20 e R$ 10

26-janeiro: DESFILE DE CARNAVAL DE RUA – Lapa – 17h – grátis

16-fevereiro: BAILE DA FINAL DO CONCURSO – Fundição Progresso – 16h – R$ 20 e R$ 10

 

PREÇO SUGERIDO CD “As melhores marchinhas do carnaval 2014”: R$20,00

Venda em http://www.bolachadiscos.com.br/loja

 

 

 

Choque do Magriça na Batalha de Quiosques – Verão MTV
 

PRONTOS PRA SUAR? A CHOQUE DO MAGRIÇA PARTICIPA
DO REALITY DE VERÃO “BATALHA DE QUIOSQUES” NA MTV

Nas areias da praia do Pepê, no Rio de Janeiro, duas bandas travam uma disputa
gastronômica e musical: em Batalha de Quiosques, que estreou no ultimo dia 7
de janeiro, às 22h, os grupos Choque do Magriça e Banda Uó precisam provar
quem comanda o melhor point do verão carioca.

A cada dia, no comando de um quiosque, as equipes enfrentam desafios que
exigem criatividade, organização e até cara de pau. À frente da atração, a
apresentadora Elea Mercurio dá dicas para os times conseguirem impressionar
o jurado-surpresa da vez: nomes como Di Ferrero, do NX Zero, o músico Arlindo
Cruz e a cantora Preta Gil, entre outros, julgam o desempenho dos grupos nos
quesitos Comes & Bebes, Performance Musical e Faturamento durante os 8
episódios do reality.

Cabe a cada time convencer o convidado a escolher seu quiosque e provar os
seus pratos. Com bom humor, a Banda Uó e a Choque do Magriça , que tem o
ator George Sauma entre seus integrantes, ainda encaram o Desafio Praiano,
no qual os participantes realizam provas que misturam esportes e diversão –
como andar na slackline e praticar stand up paddle, entre outras atividades.
A produção fica a cargo da Conspiração.

Programação Completa:

Episódio 1 – 07/01 Convidados Di Ferrero e Mc Ludmilla

Episódio 2 – 14/01  – Convidado Arlindo Cruz

Episódio 3 – 21/01

Episódio 4 – 28/01

Episódio 5 – 04/02 Convidado Péricles

Episódio 6 – 11/02 Convidado MC Sapão

Episódio 7 – 18/02 Convidada Preta Gil

Episódio 8 – 25/02 Convidado Mr. Catra


Reprises:

Quartas, às 13h 3 às 02:00

Quinta, às 23h

Sábados, às 16h e 22h

Domingos, às 12h e 0h30

E você pode assistir a MTV nas seguintes operadoras:
SKY: 86 | NET: 88/121 | Claro TV: 29 | Vivo TV: 103/556 | Oi TV: 132

 

 

 

Não conhece a CHOQUE DO MAGRIÇA? Ficou curioso? Ouça o disco de estreia da banda! PLAY

 

 

Vulgue Tostoi – lançamento cd Solar de Botafogo 18_12_13

 

 

Lucas Vasconcellos – Falo de Coração – 05_12 Studio RJ
É HOJE!

 

Lucas Vasconcellos faz show de lançamento do seu primeiro álbum solo, Falo de Coração, nessa quinta, 05/12, no Studio RJ

O cantor, compositor, multi instrumentista e integrante do duo carioca Letuce, Lucas Vasconcellos está lançando seu primeiro álbum solo intitulado Falo de Coração. O show de lançamento acontecerá na próxima quinta, dia 5 de dezembro, no Studio RJ. Acompanhando Lucas, os músicos Fábio Lima (violão/sampler), Bruno Di Lullo (baixo) e Thomas Harres (bateria).

No show, Lucas Vasconcellos ‘conversa’ com o público no intervalo entre as músicas através de textos escritos e projetados em ‘real time’. As interferências visuais ficam por conta de Lucas Canavarro.

Serviço: Show de lançamento do disco Falo de Coração, de Lucas Vasconcellos
Data: 5 de dezembro (quinta)
Local: Studio RJ – Av. Vieira Souto, 110 – Arpoador
Horário: 21h
*A casa abre às 20h.
Ingressos: R$ 50 (inteira) l R$ 25 (estudantes e lista amiga pagam meia entrada)
Capacidade: 350 pessoas
Classificação: 16 anos
Formas de pagamento: dinheiro e todos os cartões de crédito e débito.
Ar-condicionado central

PRA IR AQUECENDO PRO SHOW

 

 

Lucas Vasconcellos – Falo de Coração – 05_12 Studio RJ
Pra anota na agenda – dia 05/12, proxima quinta feira, tem lançamento do disco ” Falo de Coração” do Lucas Vasconcellos no Studio RJ!

Mais um lançamento da sua, da minha, da nossa Bolacha Discos!

Compre ou ouça o album digital nas plataformas abaixo:

 

 

Lucas Vasconcellos – Falo de Coração – Lançamento
A Bolacha orgulhosamente apresenta:

 

Falo de Coração
Lucas Vasconcellos

Não será o abismo um aniquilamento oportuno? Não me seria difícil ler nele não um repouso, mas uma emoção. SARTRE. “Esboço para uma Teoria das Emoções”.

Correr riscos, cortejar desfiladeiros sem temer os saltos mortais.

Lucas Vasconcellos nunca foi afeito aos caminhos fáceis e seguros, seja em sua banda seminal, Binário, onde a improvisação dava o tom, seja pelo duo Letuce com sua poética desconcertante, ou em seus outros trabalhos como produtor e compositor. Artista prolífico, Lucas vem direcionando sua música para esferas variadas, produzindo trilhas sonoras para cinema, teatro e TV, e contribuindo em álbuns e projetos de artistas como Katia B, Rodrigo Amarante e Lucas Santtana. Neste momento, dando espaço à sua verve mais autoral, o músico lança seu primeiro álbum solo, Falo de Coração. O título ambíguo já é uma pista para o que se ouvirá, carregando certa agressividade ao submeter o verbo a doses confessionais de testosterona. O disco, que começou a ser elaborado no final de 2012, conta com algumas parcerias de Paulo Camacho, Ronaldo Marinho e Letícia Novaes. Densas ou mesmo soturnas, as canções funcionam como um guia para as indagações de Lucas, onde a insegurança e a transitoriedade do mundo de hoje ganham destaque. A sonoridade, ainda que extremamente contemporânea, remete por vezes à produção musical brasileira do final dos anos 60 –Tropicália, Clube da Esquina e afins–, tanto pelo seu arrojo quanto por seu caráter de improvisação, o que faz com que o álbum dialogue em alguns momentos com o jazz fusion de um “bad” João Donato.

Falo de Coração começa com a delicada “Amor Uma Frase Por Vez”, onde se destaca o belo solo de charango. Em “E Se a Vida For”, Lucas se apropria das inacreditáveis oscilações métricas do baterista Bernardo Pauleira para abordar um dos temas mais presentes no disco: a temporariedade. “Flor de Tudo”, com seus pianos sobrepostos e percussão eletrônica, é, por sua vez, a faixa que mais deixa transparecer as influências de João Donato e o som mineiro. A climática “Meu Seu” traz reminiscências da infância do músico, que, aos poucos, se metamorfoseiam em uma sutil declaração de amor. Os percalços do fim de um relacionamento ganham contornos distintos na íntima “Eu Não Vou Chorar Por Fora”. “Leal”, uma das faixas instrumentais do disco, é um fado à moda Lucas. Como curiosidade, o título, além de seu significado mais óbvio, também é uma homenagem ao cantor português Roberto Leal. “Morfina”, uma das mais belas canções do álbum, possui um forte acento jazzy, sobressaindo a sua melodia elegante e o arranjo de saxofone de Fabio Lima.  A faixa seguinte, “Eu Parti”, é a mais pop de Falo de Coração, com o predomínio de voz e violão emoldurados pela bateria eletrônica e samplers de Thomas Harres. Em “Seven Laughs”, Letícia Novaes mostra o quanto é capaz de penetrar no universo de seu parceiro, oferecendo sua voz e concebendo uma das letras mais tensas e pungentes do disco. A instrumental “Parede Cinza” flerta de forma sutil com o post-rock, encaminhando o disco para a sua faixa final, “Sol de Meio-Dia”, onde Lucas extrapola a imagem inicial do sol a pino e a lança a uma realidade causticante e desoladora que condensa de forma definitiva os diversos nuances de Falo de Coração. Nele, Lucas consegue, com imensa sensibilidade, transformar  em música suas inseguranças e anseios, criando a partir desta matéria prima um desconfortante e mordaz retrato do nosso tempo.

Por Márcio Bulk

Falo de Coração – Lançamento digital exclusivo Rdio (clique na imagem da capa)

 

 

Projeto Dobradinhas e outros tais – estreia hoje 19_11 na Praça da Bandeira
Hoje rola a estreia do Projeto “Dobradinhas e outros tais“, onde artistas vão “pensar seus repertórios e instrumentos para uma apresentação somente a dois”. A primeira noite do evento que segue pelas proximas terças-feira até 17 de dezembro, contará com a apresentação da dobradinha César Lacerda e Letícia “Letuce” Novaes.

O projeto bacanudo, idealizado por Julianna Sá, promete levar uma pá de gente talentosa pra um novo palco fora do circuito Zona Sul – Lapa ! A Bolacha é mega intusiasta de projetos criativos como esse e aposta cada vez mais em novos caminhos, novos publico e novos formatos pra circulação e ampliação da nova musica carioca / brasileira.

Parabéns Julianna! Artista e publico saem ganhando com iniciativas como essa!

O Cartaz da estreia de hoje, com Cesar Lacerda e Leticia Novaes

A programação completa

O Serviço Completo

19 de novembro: César Lacerda + Letícia Novaes
DJ: La Cumbuca Sistema de Som
exposição: Ana Alexandrino
projeção: Ava
produtinhos: Carimbaria

26 de novembro: Mahmundi + Qinho Soa Tempo
DJ: Moreira (Bootie Rio)
exposição: Fernanda Ladeira
projeção: Guigga Tomaz
produtinhos: Avulsa Roupa Debaixo

3 de dezembro: Castello Branco + Rafael Rocha
DJ: Jorge Lz (Geleia Moderna)
exposição: La Negra de Goya
projeção: Paula Dager
produtinhos: Anouk bags

10 de dezembro: Lucas Vasconcellos + Brunno Monteiro
DJ: Bernardo Pauleira
exposiição: Vitor Jorge
projeção: Lucas Canavarro
produtinhos: Marceli Mazur

17 de dezembro: Arthur Nogueira + Ava Rocha
DJ: Marcello H. (Sopa)
exposição: Britta
projeção: Filmes Duma Égua
produtinhos: Orrevuá

Serviço:
Dobradinhas e outros tais
quando: dias 19 e 26 de novembro e dias 3, 10 e 17 de dezembro (sempre às terças).
que horas: a partir das 19h, com os shows acontecendo pontualmente às 21h.
onde: Forneria Sta Filomena Rua
Santa Filomena, 10, Praça da Bandeira. (ao lado do Aconchego
Carioca).
quanto: R$10

 

 

Gabriel Muzak – show e lançamento de clipe “Belém Não Para” Studio RJ 07_11_13
A festa começa às 20:00hs com o Dj Callado.

No palco, junto de Gabriel Muzak estarão os comparsas: Guila-baixo, Sandro Lustosa-percussão e Pedro Richaid-bateria. No setlist,  músicas dos dois discos : “Bossa Nômade” de 2002 e “Quero ver dançar agora” de 2013 além de quatro músicas recém compostas e participação especial da banda Mara Rúbia.
Tudo isso com direito ainda ao lançamento do video clipe de “Belém não para”, dirigido por Mihay Freire.

Linque para o evento no FB

Ingressos:
R$20,00 (lista amiga, meia-entrada ou levando 1 Kg de alimento)
R$40,00 (inteira)
Deixe o nome para lista amiga nos comentários do evento. Hasta siempre!

 

 

Maria Thalita de Paula – lançamento cd “Por Enquanto” – Teatro Café Pequeno 31/10/13
MARIA THALITA DE PAULA

A compositora, cantora, letrista lança seu primeiro CD

de sambas ‘POR ENQUANTO’

 Dia 31 de outubro, no Teatro Municipal Café Pequeno, às 20h

Maria Thalita de Paula faz parte de um seleto grupo de cantoras autorais que vêm se destacando no cenário musical carioca. Sua música tem as bases fincadas no estilo mais tradicional do samba. Filha do contrabaixista Zé Maurício, um dos parceiros mais duradouros de Leci Brandão, viu o samba rondar sua vida desde pequena.

Nas onze faixas que compõem o seu primeiro CD ‘Por Enquanto’, que sai pela Bolacha Discos, Maria Thalita imprime sua marca, apresentando músicas de sua autoria com o parceiro Zé Maurício. As exceções são ‘Hoje vim’ com João Vargas; a faixa-título ‘Por Enquanto’ com João Faria e Zé Maurício; ‘Hino das trepadeiras’ com Zé Maurício e Renana Lessa; e ‘Deixa pra lá’ de Paulinho Cavalcante e Paulo Bruce, a única faixa que não tem sua assinatura. O CD tem a participação especial de Ruy Faria (MPB4) em ‘Por enquanto’ e conta com um time de primeira como Camilo Mariano na Bateria, Misael da Hora nos teclados, João Faria no baixo, Victor Neto no sopro, entre outros.

O disco é produzido por Zé Maurício que também assina os arranjos que foram criados a partir de um estudo que ele desenvolveu sobre “música popular carioca”. Com ritmos e inspirações essencialmente cariocas, passa por samba choro, samba, samba exaltação, partido alto, bossa nova etc. E é assim que a voz leve e clara de Maria Thalita passeia por ‘Redundância’, música feita através de uma discussão de bate-papo, e a cadência de ‘Surdo de Marcação’ (Maria Thalita de Paula e Zé Maurício), com a mesma naturalidade com que debocha no partido alto em ‘Tá Tranquilo pro Boi’ (Maria Thalita de Paula e Zé Maurício), encerrando com o carnavalesco ‘Hino das Trepadeiras’ (Maria Thalita de Paula, Renana Lessa e Zé Maurício), um grito de guerra feminino em nome da folia, que pertence ao bloco de carnaval fundado por ela.

‘Por Enquanto’ traz em suas composições o amor, suas tristezas e alegrias, como as maiores fontes de inspiração. – “Eu vivi todos os sentimentos escritos nas minhas composições. Está tudo ali”. “Cartola é minha maior inspiração. Sempre amei suas letras e músicas e por isso, acho que escrevo hoje meus sentimentos” – diz Maria Thalita.

Show de lançamento

O roteiro do show segue essa dinâmica, contando sua história em fases, usando ainda elementos cênicos, tendo como trunfo uma cantora que começou a carreira como atriz. No roteiro estão outras canções que falam de amor como ‘A mais bonita’ de Chico Buarque, ‘Brigas nunca mais’ de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, uma música do Cartola quase desconhecida ‘Que sejas bem feliz’, e as músicas do CD como ‘Surdo de Marcação’, ‘Redundância’, ‘Tá Tranquilo pro Boi’, ‘Por Enquanto’, e outras que compõem o disco.

A direção artística do show tem a colaboração no roteiro do ator, diretor e autor João Rodrigo Ostrower. Maria Thalita estará acompanhada no palco de Zé Maurício (violão), Victor Neto (sopro), Leandro Vasques(baixo), Camila Dias (piano), Magno Cortes (bateria), Pedro Monteiro (Cavaco) e Beto Tisk (percussão).

‘Por Enquanto’ foi Gravado, Mixado e Masterizado por César Delano nos estúdios da Warner Chappell – RJ. O CD sai pela Bolacha Discos.

Sobre Maria Thalita de Paula

Formada em teatro pela CAL (Casa das Artes de Laranjeiras) no ano de 2003, fez vários trabalhos de atriz como ‘Jonas e a Baleia’, dirigido por Cacá Mourthe. Mas foi em 2008, quando fez assistência de direção no musical ‘Calabar’, com direção de Ruy Faria –MPB4, que a música entrou de vez na sua vida. E a confirmação veio ao subir ao palco de improviso durante um show produzido por ela, no finado Cinemathèque. Ainda em 2008, fundou o ‘Bloco das Trepadeiras’, famoso no carnaval de rua do Rio de Janeiro, compôs seu hino e desde então é considerada uma das musas do carnaval carioca (o bloco sai todo ano, e ela assume, durante o período, o nome Maria Sem Vergonha, já que todas as integrantes usam nomes de plantas com duplo sentido). A partir daí vieram shows e festivais: foi finalista do Festival Canta Geral e em 2012 foi selecionada com mais quatro novos artistas  para o Festival X-Tudo Cultural promovido pelo programa Faro MPB FM no Teatro SESI. Nessa época começaram também as primeiras composições que deram início a esse álbum de estreia – ‘Por enquanto’.

 

 

Maria Thalita de Paula – lançamento cd “Por Enquanto” – Teatro Café Pequeno 31/10/13
MARIA THALITA DE PAULA

A compositora, cantora, letrista lança seu primeiro CD

de sambas ‘POR ENQUANTO’

 Dia 31 de outubro, no Teatro Municipal Café Pequeno, às 20h

Maria Thalita de Paula faz parte de um seleto grupo de cantoras autorais que vêm se destacando no cenário musical carioca. Sua música tem as bases fincadas no estilo mais tradicional do samba. Filha do contrabaixista Zé Maurício, um dos parceiros mais duradouros de Leci Brandão, viu o samba rondar sua vida desde pequena.

Nas onze faixas que compõem o seu primeiro CD ‘Por Enquanto’, que sai pela Bolacha Discos, Maria Thalita imprime sua marca, apresentando músicas de sua autoria com o parceiro Zé Maurício. As exceções são ‘Hoje vim’ com João Vargas; a faixa-título ‘Por Enquanto’ com João Faria e Zé Maurício; ‘Hino das trepadeiras’ com Zé Maurício e Renana Lessa; e ‘Deixa pra lá’ de Paulinho Cavalcante e Paulo Bruce, a única faixa que não tem sua assinatura. O CD tem a participação especial de Ruy Faria (MPB4) em ‘Por enquanto’ e conta com um time de primeira como Camilo Mariano na Bateria, Misael da Hora nos teclados, João Faria no baixo, Victor Neto no sopro, entre outros.

O disco é produzido por Zé Maurício que também assina os arranjos que foram criados a partir de um estudo que ele desenvolveu sobre “música popular carioca”. Com ritmos e inspirações essencialmente cariocas, passa por samba choro, samba, samba exaltação, partido alto, bossa nova etc. E é assim que a voz leve e clara de Maria Thalita passeia por ‘Redundância’, música feita através de uma discussão de bate-papo, e a cadência de ‘Surdo de Marcação’ (Maria Thalita de Paula e Zé Maurício), com a mesma naturalidade com que debocha no partido alto em ‘Tá Tranquilo pro Boi’ (Maria Thalita de Paula e Zé Maurício), encerrando com o carnavalesco ‘Hino das Trepadeiras’ (Maria Thalita de Paula, Renana Lessa e Zé Maurício), um grito de guerra feminino em nome da folia, que pertence ao bloco de carnaval fundado por ela.

‘Por Enquanto’ traz em suas composições o amor, suas tristezas e alegrias, como as maiores fontes de inspiração. – “Eu vivi todos os sentimentos escritos nas minhas composições. Está tudo ali”. “Cartola é minha maior inspiração. Sempre amei suas letras e músicas e por isso, acho que escrevo hoje meus sentimentos” – diz Maria Thalita.

Show de lançamento

O roteiro do show segue essa dinâmica, contando sua história em fases, usando ainda elementos cênicos, tendo como trunfo uma cantora que começou a carreira como atriz. No roteiro estão outras canções que falam de amor como ‘A mais bonita’ de Chico Buarque, ‘Brigas nunca mais’ de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, uma música do Cartola quase desconhecida ‘Que sejas bem feliz’, e as músicas do CD como ‘Surdo de Marcação’, ‘Redundância’, ‘Tá Tranquilo pro Boi’, ‘Por Enquanto’, e outras que compõem o disco.

A direção artística do show tem a colaboração no roteiro do ator, diretor e autor João Rodrigo Ostrower. Maria Thalita estará acompanhada no palco de Zé Maurício (violão), Victor Neto (sopro), Leandro Vasques(baixo), Camila Dias (piano), Magno Cortes (bateria), Pedro Monteiro (Cavaco) e Beto Tisk (percussão).

‘Por Enquanto’ foi Gravado, Mixado e Masterizado por César Delano nos estúdios da Warner Chappell – RJ. O CD sai pela Bolacha Discos.

Sobre Maria Thalita de Paula

 

Formada em teatro pela CAL (Casa das Artes de Laranjeiras) no ano de 2003, fez vários trabalhos de atriz como ‘Jonas e a Baleia’, dirigido por Cacá Mourthe. Mas foi em 2008, quando fez assistência de direção no musical ‘Calabar’, com direção de Ruy Faria –MPB4, que a música entrou de vez na sua vida. E a confirmação veio ao subir ao palco de improviso durante um show produzido por ela, no finado Cinemathèque. Ainda em 2008, fundou o ‘Bloco das Trepadeiras’, famoso no carnaval de rua do Rio de Janeiro, compôs seu hino e desde então é considerada uma das musas do carnaval carioca (o bloco sai todo ano, e ela assume, durante o período, o nome Maria Sem Vergonha, já que todas as integrantes usam nomes de plantas com duplo sentido). A partir daí vieram shows e festivais: foi finalista do Festival Canta Geral e em 2012 foi selecionada com mais quatro novos artistas  para o Festival X-Tudo Cultural promovido pelo programa Faro MPB FM no Teatro SESI. Nessa época começaram também as primeiras composições que deram início a esse álbum de estreia – ‘Por enquanto’.

 

 

Humanish : Uma Homenagem ao Dia das Crianças
 

Todo mundo que nasceu e passou a infância no Brasil já cantou o combo “Ciranda Cirandinha” + “Um dois, feijão com arroz” + “Como pode um peixe vivo viver fora d’água fria”. As cantigas e as parlendas fazem parte das nossas primeiras brincadeiras, de nossas atividades lúdicas mais remotas celebradas em comunidade, na rua, pé no chão. E, incrivelmente, essas cantigas permanecem em nossas memórias de um modo tão límpido que se agora, de supetão, surgisse o desafio – continue a canção: “Escravos de Jô, jogavam…”; certamente todo brasileiro que se preze responderia, sem pestanejar: “Caxangá”.

Envolvidas nesse riquíssimo cenário sonoro, as crianças se percebem inseridas em um mundo de trinados de pássaros, gritos, risadas, choros, palmas e celebrações. Além disso, as músicas folclóricas revelam aos atentos ouvintes histórias maravilhosas: tudo pode acontecer. A imaginação fértil de um ser humano em sua primeira década de vida permite que todos os enredos se concretizem. Quando crianças, temos o poder de reinventar o mundo com magia. Só depois, quando crescemos, tornamo-nos travados, preconceituosos e extremamente vigilantes em relação a uma de nossas maiores qualidades: a imaginação.

É exatamente por este motivo que toda reflexão sonora do mundo infantil é uma porta de entrada ao mundo da imaginação, da alegria, do crescimento, da sabedoria, do pleno desenvolvimento humano. No inúmero “baú” de cantigas de roda, também conhecidas como cirandas, uma das mais antigas e conhecidas é “Terezinha de Jesus”. Trata-se de uma “charamba”, cantiga originária da Portugal rural e cristã de séculos passados. E como toda canção popular, a autoria é desconhecida. Bem, há nela a história da “querida” Terezinha, que cai e é acudida por três cavalheiros, respeitando-se a ordem hierárquica de “respeito” às normas cristãs: o pai, o irmão e “aquele” a quem Tereza “deu a mão”.

Pois é a versão dessa cantiga de elementos trovadorescos que a Humanish escolheu para celebrar o Dia das Crianças – enriquecida por um vídeo com a coreografia de crianças de Lomé, no Togo. África-Brasil. Brasil-África. Porque seja na música ou na dança, somos irmãos de afeto, de particularidades na manifestação de nossas culturas e, principalmente, na resistência em jamais aceitar “com pureza” o que a Colônia nos impôs como verdade. Brasil-África, África-Brasil, países antropofágicos, que deglutiram a cultura imposta e nela mesclaram sua riqueza de símbolos, signos, mitos e lendas, dando tempero ao que é insosso.
Pois a Humanish literalmente “entra na dança” e participa da ceia: é no banquete da reinvenção da cantiga de roda que levamos alegria aos menores de dez.

Salve a infância! (Marcele Aires)

——-

Participações Especiais:

 

João Mattos – Voz

João Pedro Teixeira – Acordeon

 

 

Beligerância Coletiva apresenta: Léo Jaime! Studio RJ 09_10_13
Beligerância Coletiva apresenta: Léo Jaime!

O músico é convidado e principal nome da edição do coletivo que acontece amanhã, 09/10 no Studio RJ no Arpoador.

No repertório, os Beligerantes e Léo Jaime apresentarão canções famosas e outras para desconstrução, sempre com a companhia de Sambê e de Bernardo Palmeira!

 

 

De Ladinho – O último – Barzinho (RJ)
Amanhã, 25/09, será a última quarta do projeto Deladinho, dos queridos Bernardo Pauleira, Eliza Lazerda e Matheus Von Kruger, no Barzinho !!!  Todos lá!

O Barzinho fica à Rua do Lavradio, 170, Lapa. A parti das 20:00!

A programação da semana  segue abaixo